Seguidores

Arquivo

CABECEIRA LUXO, E VOCÊ PODE FAZER!

Tags: + + +

Esse projeto requer alguns cálculos, porque a medida vai depender do tamanho da sua cama e do tamanho de cabeceira que você quer. Mas o resultado é chique. Olha só:

Material:
♥ Tecido
♥ Espuma de 2,5cm de espessura, no mesmo tamanho dos retângulos.
♥ Retângulos de mdf ou Eucatex fino
♥ Placa para montar os retângulos no mesmo material
♥ Grampeador e cola quente
♥ Gancho pra pendurar a estrutura pronta na parede (como o da foto à direita é bem adequado)

O passo-a-passo pode ser visto no All Things Thrifty.


Algumas dicas:
♥ Meça o espaço e sua cama. Se couber, é interessante que a cabeceira seja pelo menos 30cm mais larga que a cama.
♥ Compre retângulos de Eucatex ou mdf fino de mais ou menos 20x30cm (A medida pode variar, lembrando que uma folha de mdf tem 2,75x1,83m e existem medidas mais econômicas para corte. Mas essa é uma medida próxima da proporção áurea.
♥ Corte o tecido com sobra de 8cm em cada direção. (Ex.: para retângulos de 20x30cm, 28x38cm)
♥ Se você mora no Rio, na Rua Buenos Aires tem algumas lojas de espuma. No Saara tem quase tudo, menos as placas de mdf ou eucatex, que dá pra comprar na Leo Madeiras.

Comentar

ALEGRIAZINHAS PELA CASA

Tags: + + + + + +

Na segunda edição do evento "A Felicidade Mora Aqui", da revista Casa&Jardim, ouvi Maxwell Gillingham-Ryan, do salve-salve Apartment Therapy dizer que devemos espalhar surpresas boas pela decoração. Abrir uma gaveta e encontrar uma cor inesperada fabrica um sorriso. Fiquei pensando que preciso de mais sorrisos escondidos (para serem achados) pela casa.

E falando sobre decoração/decoradores, ele, o papa, disse assim: “Todos sabem da onde vem aquele sentimento de conforto e felicidade, mas alguns precisam ser guiados para encontrar o seu próprio caminho”. Fotos: Car Möbel

(Ele também disse "Design is the new food", e essa é uma das frases mais surpreendentes que ouvi nos últimos anos.)

Comentar

d♥ RESPONDE

Tags: +

Bem, eu era só uma, até ontem, e não dava conta de responder metade das dúvidas que me chegavam por email. Mas eis que surge uma luz, e não é o trem: a partir de hoje, com ajuda de profissionais, o d♥ inaugura uma nova coluna: d♥ RESPONDE! :-D
PERGUNTA:
Moro em um apartamento alugado há pouco mais de um ano. Tenho um cantinho no quarto que faço de "escritório". Queria fazer uma bancada para o computador, mas acabei comprando mesa, cadeira e gaveteiro por impulso na Tok Stok. São bonitos e tal, mas agora que não tenho mais desktop, ocupam muito espaço. Para piorar, preciso de lugar para colocar livros e acho que é ó único lugar disponível na casa e tabém o mais apropriado porque é o "escritório". Só não sei se coloco prateleiras ou um armário fechado. Prateleiras seriam mais baratas e práticas, mas sou alérgica. Armário não é o melhor lugar para se guardar livros, assim diz minha irmã bibliotecária, mas me mantém longe da poeira... Enfim, tô perdidinha! Me ajuda!

Ah, também queria sua opinião sobre que cortinas e varão colocar, tanto neste tal cantinho, que é do quarto, quanto na sala.

RESPOSTA:
O escritório da Ana, com soluções criativas, pode resultar numa organização excelente. Segue minha sugestão:
A mesa tem um obstáculo nos pés, o que é ruim para trabalhar no computador. Um tampo em L, abaixo da janela, não sairia caro e também dá um acabamento para a cortina. Abaixo desse tampo ela pode usar o gaveteiro que já tem. Uma cadeira para trabalhar horas no computador deveria ser mais confortável, mas é claro que a dela pode ser mantida! E para os livros, eu sugiro para Ana um armário com portas (que tanto pode ser aéreo quanto ficar abaixo da bancada).

CORTINAS: Cortinas não são uma boa opção para alérgicos, mas persiana para o modelo de janela que a Ana tem é inviável. Portanto nesse caso ainda sugeriria a cortina de tecido, mas leve e reta, na largura de toda a parede. Se for somente do tamanho da janela o espaço parece ficar menor. Do tamanho da parede inteira dá impressão de amplitude. Cuidado com as repartições do tecido para poder usar com a janela aberta!
Pode ser algum tipo com varão, ou com cabos de aço (tipo faça você mesmo). Mas que possa ser tirada facilmente e lavada na máquina, pra manter a alergia sob controle.

Na sala de estar/jantar, sugiro uma cortina também de tecidos leves e esvoaçantes, um pouco maior que a janela, também com varão ou cabo de aço. Nesse caso ainda usaria 2 tecidos diferentes na cortina para dar um ar mais descontraído!




Resposta da Arquiteta Deise Soares, que - muito simpática - dedicou um pouco do seu tempo para responder com carinho as dúvidas da Ana Paula. Deise é de Novo Hamburgo, e também tem um blog.

Comentar

QUARTO COMPACTO

Tags: + + + + + + + +

O quarto dos pirras é um ovo. Então tenho pesquisado muito pra melhorar o espaço. E assim achei a italiana Tumidei.


No Brasil, empresas bacanas ainda não têm costume de fazer móveis compactos/versáteis para ambientes pequenos. Mas talvez isto mude. E não, não gosto de beliche, (lembro logo da portuguesa no metrô de Londres) acho que existem opções a ela. Mas pesquisando aproveitamento de espaço é o que mais aparece.


Por falar em móveis para ambientes pequenos, você já deve conhecer a Resource Furniture, mas não custa citar...

Comentar

MUITOS PUFES

Tags: +

Vou te dizer que não sou muito assiiiim chegada em pufes não. Fico sempre com medinho do ambiente ficar despojado demais. Mas recebi um release e fiquei elocubrando.

E mexendo nos meus alfarrábios achei muitas imagens de pufes interessantes. Esse pufe cabeludo é bem interessante... pra quem não tem animal peludo.
E esse outro, é quase uma escultura. E me fez pensar como uma boa escolha de cores e padrões pode ser certeira pra sugerir uma sensação, uma ideia.
E esse de pedras? Difícil uma coisa ser o que parece, nesses tempos pós-tudo/pré-futuro. Bonito, bonito.
E a abóbora, da loja gringa Plumo? Artesanal, bonito, e o DesignSponge te ensina a técnica pra fazer. Máquina de costura na mesa, que tal partir pra ação no final de semana? (Aliás, curiosidade minha, você leitor(a) moderno(a) e bacana do d♥, tem máquina de costura? Tem acesso a uma?)
E olha, comecei a mudar de opinião... porque um pufe pode deixar o ambiente bem chique, se bem escolhida a forma e a estampa.
Pufes com cara de bala soft são ao mesmo tempo vintage e modernos. Gostei, gostei.
Mas às vezes, o que mais se espera de um pufe é que seja confortável! E conforto? Eu quero!


O Brasilazy lounge pufe, (o pufe do email que recebi) além de confortável é resistete e impermeável, e tem 13 opções de cores. É fabricado no Brasil, vendido via internet e enviado para todo o território brasileiro. E eu vou ganhar um! :-D

♥♥♥
Mais dicas de como fazer o seu próprio pufe-escândalo? Tem no Bem Simples, no Bromelia Living, e no d♥. A última foto é da Brazilazy, as outras estavam na minha pendrive e - falha grave - não registrei de onde vieram.

Comentar

PANO DE PRATO

Tags: + +

Faz tempo vi essa imagem na revista britânica Living Etc. Fiquei babando, ainda mais sabendo que todos estes quadros são panos de prato emoldurados. (Ou panos de copa, como chama a indústria têxtil. Ou toalha de chá, como chamam os ingleses.)
Aqui é meio raro ver paninhos modernetes assim, mas recentemente a Lepper lançou uma coleção com umas estampas bacaninhas (foto acima). Alguns até na vibe Beatriz Milhazes. Gostei. Mas já aviso que não sei onde tem, e que a versão nacional é felpuda. Se você souber de versões não-felpudas, bora confraternizar a informação?

UPDATE: Descobri que as estampas dos panos de copa da Lepper foram feitas pela designer Irma Haensch. Olha só que bacana que ela me escreveu :-D

"Sempre que posso, espio o d♥. Qual não foi a minha surpresa quando vi que eram sobre panos de copa e que os que eu tinha desenhado estavam ali! Até três semanas atrás trabalhei na Lepper e esses são desenhos meus! Fiquei muito feliz (e surpresa) ao vê-los!"

Comentar

CASA COR RIO - 2010/2

Tags: +

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a casa, bora visitar o evento? Já começo dizendo que se você quiser ir à Casa Cor para se admirar com ideias incríveis, esqueça. A Casa Cor não é um evento criativo. É belo. Se eu acho que vale a pena ir? Com carinho e respeito, sempre acho que vale a pena visitar a casa do outros.
Não é pra puxar saco do anunciante, mas o ambiente Home Office Bolsa de Mulher, de Tatiana Meggiolaro e Bia Lynch era dos mais fofos. Foi concebido como o escritório de uma mulher moderna que trabalha com internet e precisa ter à mão seu material de consulta. Para isso, uma estante modular guarda livros, e na parede, um grande quadro branco recebe recortes de revista e o que mais servir de inspiração (do lado que não mostrei).
Na Cozinha do Chef, a escultura de Ricardo Becker chama atenção. Gostei também da hortinha feita com calha.
A Family Kitchen tem um truque bacana. Espelhos mil, até na porção superior do teto (foto), aumentam o ambiente, que é bem pequeno.
Sempre gosto dos ambientes de Gisele e Adriana Falcão porque não são óbvios. Você pode não gostar da máquina de lavar hi-tech que sobe ao teto. Mas que explora outras possibilidades, explora. E eu amei o tanque quadrado. (E elas sempre têm a recepcionista mais simpática do evento.)
O Lounge Gourmet, do arquiteto Luiz Fernando Grabowsky tem uma mesa vermelha laqueada, que sempre funciona bem em grandes ambientes. André Piva usou uma em 2008.
Na Suíte da Moça, como as janelas eram muitas e baixas, a super simpática arquiteta Roseli Müller, optou por colocar a cama no centro do ambiente. A cabeceira alta ganhou uma bancada do outro lado, que serve de escrivaninha.

Achei muito bonita a estrutura da cama do Quarto do Rapaz. E um sofá Knot - lembra? - dá pinta por lá.

CASA COR RIO DE JANEIRO 2010
Local: Rua das Laranjeiras, 304 - Laranjeiras - RJ
Período: de 03 de Setembro a 13 de Outubro
Horário: Terça a Sábado, 12:00 às 22:00 / Domingo, 10:00 às 20:00
Preço: 3ª a 6ª R$30 ♥ Sábado, Domingo e Feriado R$35 (idosos e estudantes pagam meia)

Comentar

CASA COR RIO - 2010/1

Tags:

Carmem Mayrink Veiga não gostava de sua nora, Luma de Oliveira, namorada de seu filho Antenor. Tanto fez que Luma partiu pra outra. Pra outro, Eike Batista.

Eike Batista, já era casado no religioso com Patrícia Leal, o casamento civil estava marcado pra dali a uma semana. O anúncio caiu como uma bomba na alta sociedade carioca. Convites distribuídos e presentes recebidos, Eike abandonou tudo para ficar com Luma. "Eu só sabia que ele tinha uma namorada, mas nem desconfiava de quem se tratava", disse Luma.* Eike e Luma casaram-se no dia do aniversário de Patrícia, 3 meses depois.

Como se desenrolou a troca eu não sei, mas 2 anos depois, a mesma Patrícia Leal casou-se com o ex de Luma, Antenor Mayrink Veiga, após o Vaticano anular seu casamento com Eike.

Eike você conhece. Mas se você tem mais de 30 anos deve se lembrar também da história dos Mayrink Veiga. Pelo menos a parte morro abaixo. A casa em que moram Patrícia e Antenor já foi penhorada. Tá cada vez mais down no high society.
Se as paredes falassem, essa seria uma das histórias que o Palacete Modesto Leal contaria. Era ali que Patrícia e sua família moravam, quando ela ainda era noiva de Eike. Dizem as línguas, as boas e as más, que a família se mudou por não ter mais como arcar com os custos da propriedade. Há algum tempo a casa é alugada pra eventos. E eu conheço uma boa pá de gente que sempre quis conhecer os seus jardins, pensa só no apelo de uma casa monumental, palco de eventos novelescos, escondida por muros altos, no meio de uma rua movimentada?
Felizmente agora todo mundo pode entrar. É lá que acontece a Casa Cor RJ/2010, que devolveu ao casarão todo o luxo e a riqueza que lhe caem tão bem. (Olha bem pro banheiro da foto acima, e me diz se não é nababesco?) Agora que já sabemos a história, vamos visitar o evento?

UPDATE: É por causa da projeção de Patrícia Leal desde jovem na sociedade que temos a expressão "Patricinha", que foi inspirada nela. Monique Cardoso

Comentar

A SALA DA LA

Tags:


Penso que aconteceu o seguinte. Antes as referências de decoração que tínhamos eram as que víamos em revistas, e nas (poucas) mostras de decoração que conseguíamos visitar. Hoje não. Com a internet, e os blogs, vemos tantas opções e tantas referências que o "gosto disso!" é mais construído. Exercitamos o gosto. Então se antes copiávamos o que era de bom tom, hoje procuramos o que realmente gostamos. E outro dia vi um exemplo tão, mas tão claro disso: a sala da La!

ANTES

"Ainda estou por terminar a outra parede (será que algum dia consigo?!...), mas acho que tudo é uma evolução: a gente aprende aos poucos. Andamos pelos blogs de decoração, justamente para aprender isso: a conhecer nosso jeito, qual o ponto certo, o equilíbrio, a partir do que observamos por aí. Ainda estou longe de chegar, mas quero ao menos estar no caminho certo. A sala mudou, em menos de 2 anos, várias vezes. Mamãe costuma dizer: "Já não tem mais onde mexer..." Marido, que a "parede parece cheia demais..." e o filho do meio: "está bom, como está!" Resolvi trocar o "sofá-tijolão" para outro, de cor e modelo mais neutro. Ainda não chegou. Depois, novas mudanças..."

AGORA

Eu acho o blog da La um dos mais autênticos. Vale a pena acompanhar as mudanças na sala dela!

Comentar

FAVORITOS - CAROL GRILO

Tags: + + +

Beterraba é uma das gatas mais arteiras do universo. Que o diga Carol Grilo. Aliás, Carol tem muito a nos dizer...
Arquiteta e urbanista, com especialização em "Arquitetura de Estabelecimentos Assistenciais de Saúde", vive mesmo entre papéis e tecidos, criando coisas fofas para sua marca FofysFactory©, em seu ateliê. (Talvez seja coisa do horóscopo chinês, estudar um monte e ir fazer outra coisa. Carol e eu nascemos no mesmo ano da graça de 1978.)
Eu adoro os detalhes da casa dela (e das peças também. Tem umas bolsas com pingentinhos que são fofas de doer.).
Mas olha bem pra esse coração engaiolado. Vou nem falar mais nada. Melhor que ela fale.
"Eu e Ivan moramos aqui há 4 anos. É um apartamento de 2 quartos em Florianópolis. Sempre quisemos colocar cores em algumas paredes. A da sala é verde porque a decoração já era toda em verde e laranja. Há pouco tempo coloquei as gotas na parede do banheiro. Comprei contact e fiz minhas próprias gotas. Na cozinha, colei os adesivos da Zellig enfileirados para dar uma cara de azulejo anos 70, sabe? :)"
"Como o apê é alugado, também pensei em fazer móveis soltos, que dão mobilidade se algum dia precisar encaixá-los em outro lugar. E, o melhor, tenho o marceneiro que confio. Quando preciso de um móvel novo, desenho e ele faz do meu jeito. :)"
"Adoro decorar com objetos que ganho ou trago de viagem. Adoro misturar móveis mais contemporâneos com outros mais rústicos. Adoro casa colorida com cara de casa, não gosto da decoração asséptica imposta por alguns arquitetos e revistas de decoração. Demorei pra chegar nessa opinião. Sou arquiteta e já fiz muito projeto de móveis daquele tipo, mas com o tempo, mudei meu estilo e jeito de ver a vida :)"
"No quarto eu quis roxo porque gosto da cor e achei que ia dar aconchego ao espaço. Não me arrependo. Adorei."
E eu adoro conhecer a casa das pessoas, saber que elas são de verdade. Perceber o carinho, conhecer um pouco da história de vida. Obrigada, Carol, por abrir sua casa.:-)

Quer conhecer mais o trabalho da Carol? Visite o site da FofysFactory©.

Comentar

PIPA NA PAREDE

Tags: + + + + +


O Cravo Ofício é um escritório de design, comunicação e estratégia bem bacaninha, e que cobriu uma parede inteira com papéis de pipas comprados no mercadão de Madureira. Como fazer? Da mesma maneira que se faz com papel de parede. Onde comprar os papeis de pipa? O que você me pede que não dou meus pulos pra responder?

Aluap Pipas (21)3355-9088
Mercadão de Madureira
R$1,70 a embalagem com 20fl de 35x35cm

Comentar

PUFES DE PNEU

Tags: + + +

Esse pufe de pneu está na Morar Mais por Menos/RJ-2010. A foto não faz jus e não mostra a delícia que é sentar nele. A Ana Maria Braga, essa semana, ensinou a fazer. Ó só:

Comentar

SÓ PRAS CARIOCAS*

Tags: + +

Venda de garagem é um evento muito comum nos Steites. Aqui acho que as pessoas têm vergonha besta, sei lá. Eu acho uma bobagem. Nada mais alinhado com sustentabilidade - leia-se "tá na moda" - que uma vendinha de garagem. Afinal aquele abajur lindo, que foi herança da minha avó, pode não combinar mais com minha casa, e você pode estar super precisando de um. Ou você pode comprar um sofá novo, e 1 mês depois ser transferida pra, sei lá, Paris. Vai jogar o sofá fora? Claaro que não, né? Isso sim é feio e deselegante.

A Ester, do foférrimo Brechó Charisma se animou e está organizando a primeira venda profissa no estilo “venda de garagem”. Mas a Ester é fina, e vai estrear na Vieira Souto.

Minha dica? Não perca. Afinal, como disse La Reina Madre, “neguinho entrou numas de superfaturar o vintage”, e uma oportunidade de vintage a preço real não é coisa pra se perder sem motivo.

Abrindo a casa - Venda em residência
12/setembro - Domingo, de 10 às 14h
Senhas serão distribuídas a partir de 9:30
Av. Vieira Souto, 530, Ipanema

*Outra opção, no Rio, é o Venda em Garagem. Até pesquisei se tinha esse formato em outras cidades. Deve ter sim, só que não achei. Caso você saiba de algum em sua cidade, me conta nos comentários deste post?

Comentar

CASAS DO INTERIOR

Tags: + + +

"Procuro ambientes onde se enxergue a vida acontecendo. Aí encontro harmonia na desordem, beleza na simplicidade. Essa coleção de imagens é a representação de valores ou sentimentos que me trazem conforto. Portas se abrem para INTERIORES, onde compartilhamos identidades." Diz Eneida Serrano.
Sentimentos que trazem conforto. Eu olho para essas imagens e lembro de Gó, que guardou seu primeiro óculos num saco de biscoito, que a mãe jogou fora. Lembro que a mãe dela fazia um feijão estranho, sem corantes. E que tinha na sala uma Monalisa e um Jesus Cristo louro. Que eu sempre ganhava nas pedrinhas, e uma das pedras que joguei pro alto bateu na minha testa, na catapora. Até hoje tenho a marca.
Revivo o rouba-bandeira, o pique-esconde na chuva, pular corda foguinho em frente à casa de minha avó. Sinto a pele em brasa do dia em que caí de bicicleta na canavial e Maria me deu banho de vinagre. E as laranjas-bahia mais azedas de minha vida, que eu esperava o ano inteiro pra comer no quintal de Tim? Boca enche de água, só pra apertar mais ao sentir o cheiro das mangas verdes da casa de Cidinha. A mãe dela não gostava que tirássemos do pé antes de amadurecer, então era um eterno esperá-la sair.

Isso tudo é de uma infância minha mesmo, mas tão longe no tempo que parece sonho. Bachelard tem razão: a infância é certamente maior que a realidade. E eu contando isso assim por que? Porque nessas imagens vi a mesma luz que caía de tardinha sobre o fogão de lenha amarelo da casa de Gó.
E já que me mordeu o bicho citadeiro, sopro só mais um: "Reunindo aspectos psicológicos e ontológicos, a casa é, pois, a imagem de um contraponto fixo, ponto de estabilidade para o ser que o deseja e busca, enquanto se torna consciente de que tudo flui, corrompendo-se. Mas é também um fragmento de duração perdida, que, simbolicamente, se reilumina junto ao fogo, carregado de tempo vivido." Davi Arrigucci
Todas estas fotos são da Eneida Serrano. Algumas estão na coleção Pirelli/Masp e outras foram expostas na galeria Bolsa de Arte, em 2007. Prêmio Açorianos de Fotografia, em Porto Alegre. Ah, e é claro! São todas fotos de casas do interior do Brasil. Dica da Usha Velasco.

Comentar