Seguidores

Arquivo

Bichos, cacos e o kitsch

Tags: + +


Adoro aquela história do figurão que morreu e foram checar o inventário. Ele tinha um 'bicho' da Lygia Clark. Procura daqui, procura de lá, cadê bicho? Foram encontrar na área de serviço. A passadeira usava de suporte pro ferro de passar. De alguma maneira lembrei dessa história, quando li: "Em atitude típica das parcelas em ascensão, que não dominam bem os códigos de estilo (...), os donos daquelas casas da periferia concebiam as composições através da justaposição de elementos múltiplos e contraditórios que suas percepções pareciam lhes indicar pertencerem a gosto superior ou distintivo."

O frescor na interpretação desses "códigos de estilo" me deleita. Mesmo. Chego a dizer que uma parede com textura (beijo, Carolina!) me dá mais felicidade que uma parede-cimento-queimado. Porque o tipo de sorriso é diferente. Como aquela casa de Vila Isabel, o suprassumo do kitsch - que me dá vontade de tocar a campainha e me oferecer pra um café e conversa fora.

Sobre o kitsch, "coube à cultura alemã elaborar, mais consistentemente, uma definição do Kitsch. (...) O termo Kitsch, por ser intraduzível, foi transportado para outras línguas. (...) Haveria duas versões distintas para a origem do vocábulo Kitsch. De acordo com a primeira, ele derivaria de uma corruptela do termo inglês sketch, remontando à segunda metade do século XIX, quando turistas americanos, querendo adquirir uma obra de arte por um preço irrisório, pediam um esboço (sketch) do mesmo. Por extensão, todo material que viesse a imitar uma produção original, destinado ao consumo de experiências estéticas facilmente assimiláveis, seria denominado kitsch.

Na segunda acepção do termo, ele adviria do verbo alemão Kitschen, significando, "tirar a lama da rua" ou "reformar móveis para fazê-los parecer antigos". Outro conceito desse verbo seria o de "atravancar". Pareceria ainda, incluído nessa segunda hipótese. o verbo verkitschen, indicando vender barato ou, também, trapacear, receptar, vender alguma coisa no lugar do que havia sido combinado."


Aspas todas do livro Arquitetura Kitsch: suburbana e rural. Foto lá de cima minha mesmo. E dos cacos vermelhos da Mika Lins, que contou uma história ótima sobre esse piso de cacos vermelhos, amarelos e pretos.

Comentar

Vou te contar um segredo

Tags:


Um grande segredo que descobri na vida: a única solução verdadeira para um maior aproveitamento de espaço em um apartamento pequeno é a marcenaria. Espaços embaixo de bancos, restinho de bancada da cozinha americana formando uma prateleira, uma mesa que cresce só quando se precisa, estantes que aproveitam todo o espaço, et caterva.


O gasto pode ser maior que o que se teria para um gatilho (®carioca) ou gambiarra (®resto do país), mas a solução é real.



Aproveitando o embalo, você já viu esse vídeo? (Se estiver lendo pelos feeds e não conseguir ver, clique aqui.)

Comentar

Pequenos espaços para os pequenos

Tags: + + + + +


Faz tempo, né? Nenhum quarto de criança por aqui. Mas esse merece, pelas diversas soluções interessantes para pequenos espaços. Começando pelo espelho, que funciona como um fermento, aumentando a massa o espaço.


Passando pelo teatrinho. Porque eu adoro um teatrinho, e esse tem até camarote.


E um monte de espaço pros brinquedos. E uma cama no alto.


E uma escadinha muito fofa. Só não deve ser muito fácil trocar a roupa de cama. ;-)


O projeto é da BEA Arquitetura e Decoração. As mesmas daquela outra ideia bacana, dos cestos de brinquedo, lembra? E o quarto todo tem 9,70m2. Não é exatamente uma caixa de fósforos. Mas parece bem maior que isso, por conta do espaço livre que a marcenaria permitiu.

Comentar

Pó de pirlimpimpim no guarda-roupas!

Tags: +


A Francieli me escreveu pedindo ajuda pra arrumar o armário dela, que é um só pra ela, o marido, o banheiro e os panos de cozinha. Que não cabe nada, que não consegue mais organizar, e talecousa. Mas gata, embora meu armário seja bem organizadinho, ensinar a organizar guarda-roupas não é a minha praia.  Então eis que surge Dani, a fada madrinha organizadora.

O que a Dani faz? "Meu trabalho é facilitar sua vida. Ou porque você não tem tempo ou porque não gosta, enfim, o motivo não importa, o que importa é que eu me importo." É ou não é fada-madrinha? Então, com a palavra, Dani Ferreira:


"Oi Francieli. A primeira dica é dar uma geral nas roupas e ver o que você usa e se desfazer das que não usa.


O melhor a fazer é guardar as roupas da estação oposta nas partes menos acessíveis do armário, acondicionadas em caixas organizadoras ou sacos de TNT - são excelentes pois deixam a roupa respirar -  ou ainda em sacos a vácuo, que diminuem muito o volume de roupas a serem guardadas. É importante guardar as roupas limpas e lavadas.  Quando chegar o verão inverta as roupas e guarde da mesma forma as roupas de inverno.

Feito isso, vamos começar a organizar o que é necessário. Divida o armário, uma parte só para você e outra para seu marido. A melhor formas de organizar roupas penduradas é:
- Cabides pendurados com o gancho virado para dentro;
- Pendurar as roupas das claras para as escuras, dos tecidos mais leves para os mais pesados e das peças curtas, médias e longas;
- Ideal cada morador da casa ter cabides com cores diferentes.


Organizar calcinhas, cuecas e sutiãs:
- Separar as roupas íntimas do dia-a-dia às das ocasiões especiais. As de ocasiões especiais, guarde em saquinhos feitos em TNT, as do dia a dia, dobre como envelope.
- Você pode pegar caixa de sapato ou de sandália (que são mais estreitas) e colocar na gaveta fazendo uma separação da mesma forma que as colméias (foto da direita).
- Sutiãs de bojo com armação, não dobrar, guardar aberto para uma melhor conservação da peça. Os de outros tipos que não tenham armação, guardar dobrando um dentro do outro;

Organizar roupas
- Para padronizar as dobras para as camisetas, utilize gabaritos feitos por você mesma, com cartolina, papelão ou plástico. O importante é que tenha as dimensões adequadas para aproveitar melhor o espaço da sua gaveta ou prateleira. Corte o gabarito pelo menos 2 centímetros a menos do que o espaço onde serão guardadas as camisas, para não se formarem pilhas de roupas justas demais.
- Calças jeans, se você não tiver cabide para no máximo 2 calças por cabide é melhor você dobrá-las.
- Para caber mais roupas nos espaços, dobre as peças que não amassam, em forma de rolinhos, isso economiza bem os espaços.


Coisas de cozinha e banheiro:
- Siga a mesma lógica e guarde as coisas de banheiro dentro de caixas organizadoras ou cestinha que ficam super charmosas, como você disse que não pode guardar no banheiro, pode fazer essa organização dentro do seu armário ou até mesmo deixá-las fora do armário num cantinho mas com muito charme.

Beijo e boa sorte!!!"

Imagens: Chega de bagunça e Casa&Jardim, que também ensina a usar o gabarito.

Dani Ferreira é assessora pessoal.

Comentar

Pinturas e tingimentos estranhos

Tags: + +


Lembra da foto da Sweet Paul? Essa é da LivingEtc desse mês. Faz tempo que tenho notado o aumento da aceitação do 'imperfeito', do outrora imperfeito. O tal do wabi-sabi se embrenhando até parecer coisa nossa, como... sei lá, goiaba.


Pinturas de parede e tingimentos estranhos trazem personalidade e um carater único. Porque qualquer um pode pintar uma parede na cor x. Mas essa cousa de deixar pelas metades, é preciso ousadia. Ou nem tanto:

Comentar

Casa Cor SP - 2011

Tags: +

Por Andreia Nery

O tema da Casa Cor SP desse ano - que comemora 25 anos - é “Dia a dia com a tecnologia”. Como a tecnologia - geralmente embutida numa fechadura eletrônica, persianas que sobem e descem ou lareiras à gás - não me salta aos olhos, prestei atenção às paredes e pisos, à iluminação cênica e à vedete do momento: o patchwork. Não aquele de retalhos de tecidos, mas o de azulejos. Ele aparece em ambientes distintos como na Boulangerie, no grande balcão da cozinha externa e no hall em preto e branco.


De tanto olhar ambientes pasteurizados dedicados a alguns homenageados com banheiras transparentes, bolas de futebol, pranchas e toalhas fofíssimas em lavabos com idéias até sustentáveis, chama atenção as intervenções mais naturais. É o caso da Praça Pomodoro e Peperone que concentra horta e pomar na entrada de um restaurante.


Bambus in natura ou “descascados”, bancos e pisos de madeira ou uma parede coberta de pregadores fazem o contraponto com a poltrona Carnevale de Pedro Franco ou a cortina quase holográfica do Refúgio Contemporâneo.


Dica: nos dias 11 e 12 de julho objetos, produtos e móveis expostos em alguns ambientes serão vendidos com até 70% de desconto.


Casa Cor - SP
24/05 a 12/07/2011 ♥ terça a sábado das 12h às 21h30. Domingo das 12h às 20h ♥ Jockey Club de São Paulo ♥ Endereço: Av. Lineu de Paula Machado, 1.075, Cidade Jardim, São Paulo / SP ♥ terça a sexta-feira, R$ 37,00, meia-entrada: R$18,50 (estudantes e pessoas acima de 60 anos); sábado e domingo: R$ 41,00, meia-entrada: R$ 20,50 (estudantes e pessoas acima de 60 anos), Passaporte: R$ 70,00 (para todos os dias do evento) ♥ Contato: (11) 3819-7955 ♥ www.casacor.com.br

♥ Andreia Nery é jornalista, analista de mídias sociais e fotógrafa. Mãe da Gabi e da Manu. Sempre gostou de decoração, mas prefere lugares abertos.

Comentar

Revistas online

Tags:


A internet está matando a imprensa escrita. Claro que isso não é uma verdade gorda, é mais gringa, mas lá se foi a Domino, a Decor Magazine, e essa semana a revista americana ReadyMade morreu. Essas coisas me deixam triste, porque muita gente perde o emprego e eu perco uma fonte de inspiração. Talvez seja essa a principal razão pra eu assinar 5 revistas brasileiras, mesmo nunca conseguindo ver todas. Faz de conta que é um patrocínio, embora micro.


Uma das culpadas pelo assassinato em série das revistas é a internet. E se as revistas impressas vão pro céu, as online vivem seu baby boom. O Whip up fez uma listinha de revistas online e gratuitas, que vale a pena guardar, reproduzir e dar uma olhada (principalmente se você tiver um tempo sobrando). A foto acima é da Sweet Paul, que é principalmente de comidinhas, mas tem imagens lindas de interior também.

No Brasil isso ainda não virou moda, e eu só conheço uma, que embora interessante, comete a falta de educação de usar tela cheia. É a revista Lush.

Vamos à listinha gringa:

Craft / tutoriais / faça-você-mesma
Knit circusRhythmof the homeInspired ideasKnitty.comTwist collective

Comidinhas
Sweet Paul MagazineMAEVE Magazine79 ideas │ Delish Magazine

Design / interiores e moda
Matchbook mag │ Est │ Fryd Design │  Fryd Design - versão em inglês  │ Lonny Mag │ Viva la moda │ Neet magazine │ Joie │ Styled

♥ Curiosamente - ora ora, vejam só - nenhuma das publicações gringas abrem em fullscreen. A 1ª foto, da caixa-sofá é da ReadyMade, que pra falar a verdade eu nunca gostei muito.

Comentar

Sorteio Meninos

Tags:

Lojas online que vendem coisas bacanas criadas na China, tem um monte. Mas a “Meninos” é uma marca brasileira de produtos criativos. As peças são criadas no estúdio no Rio de Janeiro, e de lá vão parar em lojas e clientes finais em mais de 32 países, além do Brasil. Isso não é muito bacana?


Leeembra de Pitfall? Eu passava horas jogando com aquele joystick que inchava a mão. Melhor esse jacaré aí.


E o passarinho que volta pra casinha quando você volta pra casa:

E a Meninos quer te dar um presentão: um não, duas almofadas bacanosas. Pra concorrer, é só preencher o formulário abaixo, e fazer pensamento positivo :-)




REGULAMENTO: São elegíveis ao prêmio todos os leitores, residentes no Brasil, que preencherem esse formulário. Apenas 1 registro será computado por pessoa. + 1 registro será permitido por link no Twitter (use este link ou o ícone retweet) e/ou outra rede social e/ou post no blog, desde que preenchido o formulário novamente. E quem seguir os Meninos no Twitter e no Facebook, ou seguir o d♥ (ali em cima, à direita) também concorre +1x. Portanto cada pessoa pode concorrer vaaaaárias vezes. O sorteio será realizado em 30 de junho de 2011. Caso o/a ganhador(a) não se manifeste em 7 dias, será feito um re-sorteio.

Ah! E é o que você está esperando pra começar a escolher as suas almofadas no site da Meninos? Siga a Meninos pelo twitter e Facebook, e boa sorte!

Se você lê o d♥ via feed e não consegue visualizar o formulário, acesse o d♥.

Comentar

Ideias para a decoração da festa junina

Tags: + +


Houve um inverno que enchemos a sala (!) de bandeirolas, e todo dia era dia! Eu adoro festas juninas, das comidas ao clima. Aí, no site da revista Ana Maria vi essas mesas, e me deu vontade de empetecar a mesa prum chá.



Fui à Saara fazer 'pesquisa de campo' (aka terapia com 50 reais) e descobri toda uma nova nomenclatura: lanterna plateaux (uns R$3), margarida (até R$7), leque, guirlanda-margarida. A festa junina se diversifica em seus enfeites. Acho bom, acho ótimo. Não que as bandeirolas de papel de seda tenham sumido, mas agora elas têm companhia.


E me lembrei de outro dia ter visto uma mesa de casamento, e olha bem pra isso:



Não é que dá pra adaptar super? Se você não sabe onde começar a procurar esses elementos, acho que nas lojas paulistas Festa Express e Rica Festa dá pra comprar online. Mas se você quiser fazer uma roseta dessas (das fotos acima), tem um tutorial simplérrimo aqui.



E se você não for fã de uma macro-ornamentação, faça uma micro. Bolo enfeitado com bandeirolinhas, Ana Maria.

Comentar

Praticidade? Tem mas acabou.

Tags: +


Se esse gancho de pano de prato é prático? Ha ha ha! Mas fofo, muito fofo. (E eu numa vibe coisas fofas. Deve ser a febre.) Na verdade é um cabide, de uma artesã finlandesa.

♥ Outras cozinhas? O atalho é esse.

Comentar

Cócegas no nariz

Tags: +


Me fala aqui, por mais altos que sejam seus níveis de testosterona, se esses interruptores não são lindos? Adesivos criados pela Henrietta Swift, à venda na gringa.

Outros espelhos de luz.

Comentar

Textura? Gastura. #3

Tags: +


Por Carolina Mendes

Tô bem sacando a de vocês.

Se eu falo palavrão, a liga das senhoras católicas reclama. Se eu não falo palavrões gente como a gente reclama. Se eu falo mal de algo e vocês se identificam, vocês reclamam, se eu falo algo que é só dar voz ao senso comum, vocês me amam.

Sabe, a gente poderia levar essa de criticar o óbvio adiante e evitar o pior, garantir meu salário e infinitos sorrisos por aí. Mas não é bem esse o meu jeitinho. Meu jeitinho é falar a minha humilde opinião e acertar errando. Tamos aí pra dar uns toques pro pessoal que precisa daquele empurrãozinho pra enxergar certas coisas.

Falando em acertar errando, e o povo que erra achando que tá acertando?

Vou contar uma historinha.

Minha mãe é a doida das reformas. Parece ruim, mas é pior ainda (mãe te amo mais que nutella), ela curte reforma a ponto de remodelar os apartamentos que aluga. Até aí tudo bem, é um transtorno, é meio caótico, mas não é nada que mulheres de sangue espanhol não consigam administrar. Com essa de crescer praticamente em um canteiro de obras, aprendi alguns truques relativamente baratos e eficientes. Um dos muitos que eu aprendi nestes meus 30 anos, é que azulejos medonhos podem facilmente ser recobertos por textura. Gente, fica bom. Milagrosamente. A parte do box, o pintor amacia com massa plástica e pinta com tinta epóxi. Única situação em que eu consigo lidar com textura dentro de casa.


Tenho visto apartamentos pra alugar, e já são cinco que eu visito que tem uma parede de cada cômodo com textura de uma cor medonha diferente. E não é só o grude da textura não, é toda um sofisticação da medonhice. O modelo da textura faz desenhos e os tons da imensa maioria das texturas é de morrer.

Pêssego/ salmon- Sério. Chega dessa merda. É CAFONA, muito cafona. mesmo que você tenha um berçario, ou uma clínica obstetra. CHE-GA. Uma parede de textura pêssego então? Acho que o pêssego se pudesse mudaria de nome, pelo contrangimento que é a cor que criaram com o nome dele.


Azul camisa de porteiro- Sabe de que tom de azul eu estou falando, não sabe? Então, uma parede cor de camisa de porteiro parece boa idéia? Verde quadra de tênis claro- gente, tô lembrando das quadras de tênis do meu clube... Aquilo no chão é textura? Amarelo mostarda com maracujá- Imaginou o gosto? A cor não é muito melhor.


E longe de mim querer me meter na vida sexual de ninguém, mas parede de textura não é exatamente confortável pra se pegar, né? Pode falar “pegar”? Ah sim, não use mais malhas de lã porque elas väo meio que grudar nas suas paredes. Textura transforma sua casa numa imensa unha que lascou e não lixaram, tudo pega.


E é um troço porco. Porque tem aquelas ranhuras e buraquinhos, que juntam pó e sujeira. Sério, eu aspiraria semanalmente minha parede de textura, caso tivesse uma em casa.

Você já derrubou alguma coisa entre um móvel e uma parede de textura? Você precisa de uma luva de amianto pra esticar a mão e não perder pele, e ter que reconstruir sua mão usando pele da bunda depois. Pode falar “bunda”?

Aí um dia você se cansa daquela cor medonha e resolve pintar. Vai gastar um volume de tinta equivalente ao rio Amazonas.

Não dá uma alegrada no ambiente, não é charmoso, não é chique, não é agradável. É um bom artifício quando é necessário, e não existe NENHUMA outra alternativa.

Textura é boa pra fazer muro que rala mão de bandido, e só.

Ah sim, e pra dar um tapa e esconder azulejos medonhos em apartamentos alugados. *

Fim.

Carolina Mendes é paulistana, escritora e implicante.

Comentar

Como fazer viés

Tags: + + + +

Viés é uma fita de tecido cortado na diagonal. Serve pra que? Basicamente pra dar acabamento. Mas nem sempre dá pra achar na estampa ou cor que a gente quer. Quer aprender a fazer, com tecido e 1 alfinete? Esse tutorial fácil e baratésimo tá, adivinha onde? No Extra Explica, claro.

Mas você pode se perguntar: "que raios eu vou fazer com viés? Então olha só:


Almofada (Poppytalk) ♥ Cabide (Between the lines) ♥ Guirlanda (Etsy) ♥ Bolsa (Cut out and Keep). Mas não para por aí. O Cut out and Keep tem vários outros projetos.

Gostou? Então vai lá e dá um clique na . :-D

Comentar

Cabide de crochê

Tags:

Foi bater o olho no brinde da Gloria Coelho/Círculo no SPFW-Verão/2012, um cabide de crochê, que lembrei de muitos outros. Então tipos: é tendência cabide revestido de crochê.


1- Passo a passo no Between the lines. 2- Versão truque, com linha enrolada, no Wise Craft. 3- Tutorial de em inglês. 4- Comprado num brecho pela Ireen.

O que eu penso? Bem, eu não faria. (A não ser que o dia tivesse assim, umas 40 horas.) Mas adoraria ganhar de presente. Legal mesmo é pensar em como o artesanal está na ordem do dia.

♥ Quer ver mais crochê? Olha só
♥ P.S.: Só não compraria porque tenho os mesmos cabides cromados há uns 20 anos.

Comentar