Seguidores

Arquivo

Cartilha escandinava para quarto de criança

Tags: + + + + + +


Lembra da cartilha delícia do design escandinavo? Muito branco até no chão, pitadas de cor, móveis bacanas e a nossa boa e velha pintura estranha. Este quarto de criança nem é escandinavo (é escocês) mas segue a cartilha direitinho!


A meia-parede preta ajuda a dar aquela segurada na limpeza, e ainda cria aconchego nesse oceano branco.


Nem o lustre escapou da regra do branco! É preciso ter uma disciplina ferrenha pra conseguir manter esta ideia do fundo branco. O desejo que dá de colocar uma cor é quase insuportável.


Mas aí vem Eames e salva, deixando colorir tanto a cadeira quanto o cabideiro. :-)

P.S.: Só eu gamei no janelão?

Comentar

Pintura estranha #6

Tags: + + + + + + + +


Tá precisando de uma mudança na casa e não sabe por onde começar? A resposta é tinta. Sempre.
e uma mudança mais em conta (principalmente se for feita por você mesma) e com mais impacto. Mas quando a pintura ainda tem um borogodó, a coisa fica ainda melhor. Borogowhat??


Assim. Vai pintar um rodapé? Esquece o simplezinho e faz um zigzag. Quer dar mais sofisticação à parada? Chame a pintura de chevron e escolha duas cores contrastantes. (Quer uma ajudinha na escolha de cores, leia sobre teoria das cores no dcoracao.com).


Voltando ao caso do detalhe, que com tinta causa impacto, já pensou em pintar o teto de cor diferente? Só não escolha uma cor escura, pois pode dar a impressão de achatar o ambiente. Opte por tons mais claros e iluminados, como esse verdinho.


E por fim tem o causo da porta, que não precisa mais vestir a roupa combinandinha, e pode pirar no grafismo. Que tal?

♥ Não é de hoje que o dcoracao.com junta todo tipo de pintura diferente que vê por aí. Tem muitas outras aqui.
♥ Viram que o dcoracao.com está buscando colaboradores?
♥ Imagens: DIYorDie | Skonahem | Design Sponge

Comentar

Buffet ou aparador, o que escolher?

Tags: + + + + +


Os buffets saíram de moda por muito tempo, e desde quando ainda eram chamados de “tajer”, não os víamos tanto por aí. Mas agora voltaram com tudo, em produções bacanosas. Modernos, retrô, clean, impactantes, tem pra todos os gostos. Mas se você está na dúvida se, pra aquele cantinho, prefere aparador ou buffet, a gente te ajuda a escolher.

A questão é: o que importa mais pra você? Espaço de armazenamento, ou versatilidade do móvel? Feita a escolha, vamos às inspirações.


Se sua opção favorita é aparador, ok. Agora que tipo escolher? Bem, um aparador com transparência (acrílico ou vidro) é bacana pra pequenos espaços. Mesmo não sendo de material transparente, mas sendo "magrinho"com linhas retas, tá valendo a característica. E fica lindo quando somado a uma peça de impacto, como um espelhão ou uma escultura.


O aparador multiúso salva a pátria na hora da mudança. Tem prateleiras? Dá pra usar de mesa de trabalho? Posso usar em outro ambiente? Se a resposta for sim a qualquer uma destas perguntas, tá aí uma peça coringa.


Se você tem muita coisa pra guardar e a sua opção for pelo buffet, (primeiro vem cá e me abraça), lembre-se que a peça não precisa ser pesadona. Aliás, os mais bacanas não são. E está super liberada a cor, seja no móvel, seja nos arredores :-).


E combina com o que? Bem, como tanto os aparadores quanto os buffets são peças mais baixas, tudo combina em cima. Quadrão, espelhão, um monte de quadrinhos, e até quase nada.

Na Essência MóveisAparador 1 | Aparador 2 | Aparador retrô pé palito e multiúso | Aparadores retrô e super coloridos.

♥ Aproveito para agradecer à Essência Móveis, que permite que o dcoracao.com produza bom conteúdo patrocinado.
♥ O aparador de parede é um projeto DIY do Design Sponge. Imagens via SeeSaw, Design Sponge e Pinterest.

Comentar

Cores de marca-texto na decoração

Tags: + + + +


Decoração da casa não é como roupa, que dá pra ficar trocando toda hora. Um detalhe ou outro, vá lá. Mas uma mudança mais permanente, que exija mais energia, ou dinheiro, como a cor da porta, um móvel, é mais difícil.


Então, a receita que eu sigo é essa: passou o fuzz, a empolgação inicial com a tendência, e eu ainda gosto? Chegou a hora de adotar.


As cores flúor, que por muito tempo só eram admissíveis nos marca-textos, já passaram pelo teste de honra. Dão um toque de modernidade e ousadia ao ambiente, o que é bastante bem vindo. Então vamos ver onde aplicar, sem medo de errar?


#1. Banquinho: todo mundo tem, é barato e fácil de pintar. O risco é pequeno, e o custo também.


#2. Parede ou porta: pros mais corajosos. Mas cansou? É só pintar!


#3. Cadeiras: aproveite a onda de cadeiras diferentes entre si. São interessantes e tem pra todos os bolsos. Ache semelhantes na Essência e na Doke.


#4. Lustre: felizmente a oferta aumentou, e taí outra peça de decor que tem de todo preço. De metal, dá pra achar por R$40 na Saara. O flúor? Tinta spray resolve.

Imagens - Pinterest, Real Simple e Woonideeen.

Comentar

Arquitetura ou design de interiores: "o que devo estudar?"

Tags: + + +


"Os cursos de Arquitetura e Urbanismo e Design de Interiores estão em alta. (...) Além de muito procurados, estes cursos oferecem possibilidades de ganhos satisfatórios, segundo os profissionais da área. Para a coordenadora dos cursos de Arquitetura e Urbanismo e Design de Interiores do Cesumar (Centro Universitário de Maringá), Berna Bruit Valderrama, não falta trabalho para esses profissionais na cidade.

"Com o boom da construção civil, há muitas vagas para esses setores. As pessoas passaram a requisitar mais esses serviços e a perceberem a importância das competências para a qualidade das estruturas e harmonia dos espaços interiores", destaca.

Como as duas áreas desenvolvem serviços ligados ao setor da construção civil, muitos estudantes têm dúvidas sobre qual caminho seguir. Berna explica que os cursos envolvem competências distintas.

"O profissional de Arquitetura e Urbanismo tem habilitação para a construção civil e está apto para trabalhar nas estruturas, bem como na parte interna dos imóveis. Já o designer de interiores projeta somente os espaços internos e pode definir acabamentos, revestimentos, pinturas e móveis", esclarece.

O curso de Arquitetura e Urbanismo tem duração de cinco anos e forma bachareis em Arquitetura. Já as formações para designers de interiores, normalmente são tecnólogos, de curta duração, direcionados para quem deseja ingressar mais rápido no mercado de trabalho com uma profissão definida.

"São duas áreas em ascenção em todo o País e, especificamente, em Maringá. No caso do profissional da área de design, o serviço tem sido mais requisitado nos últimos anos. As pessoas perceberam que não basta intuição para definir ambientes internos e começaram a buscar profissionais graduados", diz."

Muita gente me escreve pedindo conselho. "Que curso devo fazer, design de interiores ou arquitetura?" Acho que é uma pergunta que tem resposta diferente pra cada um, mas ler bastante a respeito de cada curso, e conversar com profissionais pode ajudar.

Pra mim a resposta foi design de interiores, porque eu preferia fazer um curso mais curto, e porque atendia exatamente ao que eu queria fazer da vida. Se fosse meu primeiro curso universitário, eu faria arquitetura. Mas foi o terceiro. Então eu não tinha muitas ilusões sobre o que aprenderia ou não em mais tempo de faculdade. Até por já ter a experiência prática. Mas não quer dizer que seja a mesma resposta pra você.

Outra coisa. Pesquise antes e não faça um curso ruim, com professores ruins. Cursos ruins dão desânimo, e o conteúdo se perde. No fim, isso pode significar desistência. E não é isso que você quer, né?

Daí que esta semana vi este texto no Diário de Maringá, e achei que valia a pena reproduzir (acima).

O guia do estudante dá melhores informações sobre os cursos de design de interiores e arquitetura. E boa sorte na sua escolha.

Comentar

Quarto de criança, fórmula escandinava

Tags: + + + + + + +


Quarto de criança já tem 50% de chance a mais de ser bacana. Por conta dos brinquedos coloridos, e das múltiplas possibilidades de ousar. Se o quarto é em casa de designer então...


Dona do weekday carnival, essa mãe fez tudo o que manda a cartilha delícia do design escandinavo. Muito branco até no chão, pitadas de cor, móveis bacanas e a nossa boa e velha pintura estranha, que já não é mais tão estranha, né?


O cinza ainda dá uma segurada para que outras cores não fiquem tão gritantes. (Frase esquisita, mas acho que deu pra entender o que quero dizer, né?)


É pra copiar, não acha?

Comentar

Livro: Cimento, Batom e Pérolas - Quem Tem Medo de Arquiteto?

Tags: + +


Dorys Daher é uma mulher finíssima, educada, e muito experiente em projetos. Pois a arquiteta resolveu reunir alguns perfis de experiências em um livro, que nos ajuda a entender e lidar melhor com o processo, estejamos na posição de profissional, ou na do cliente.

O livro é bem interessante. Li aos poucos, e no fim da leitura acho que todo mundo que está entrando, ou saindo de uma grande obra, deveria ler. Pois apreender a experiência do outro é uma bela forma de adquirir sabedoria, e acalmar nossa ansiedade.

Achei mais barato na Travessa. No Google Books dá pra ler mais trechos.

Comentar

Circuito das Artes do Jardim Botânico 2012

Tags: + + +


O Circuito das Artes do Jardim Botânico é um evento anual, que acontece no bairro do Jardim Botânico no Rio de Janeiro, e, semelhante ao Santa Teresa de Portas Abertas, os artesãos abrem as portas dos seus ateliês aos visitantes. Todo ano eu faço propaganda. É que super acho que vale a pena o passeio pelos ateliês do Jardim Botânico.

Neste link você pode pegar um endereço para começar, mas no evento, em cada um dos ateliês, são distribuídos mapas. Vá de sapatos confortáveis e preparado para subir e descer ladeiras. Mas é claro que com o visual do Jardim Botânico fica tudo mais leve.

As peças que ilustram este post são totens do ceramista Guilherme Toledo (que também dá aulas super bacanas de cerâmica), e vasos de paperclay (os da direita). Os vasos são feitos de uma mistura de argila com papel), sendo o papel de material de campanha política, desses que emporcalham a cidade.

O endereço do ateliê do Guilherme é rua dr. Girondino Esteves, 135. Entre na rua Estela (terceira depois do restaurante Couve-Flor), siga até o final e vire à esquerda. É o ateliê n°4 do mapinha. :-)

Data: 25/26 de agosto.

*site com música. Como ainda fazem site com música??? Quero ver na Copa :-)

Comentar

Sofá faça você mesmo

Tags: + + + +


Ao procurar um sofá, a ideia da Emy e de seu marido era fugir do padrão que domina o mobiliário contemporâneo. Mas como sofás não convencionais, com qualidade, design interessante e bom preço estão escassos, eis que eles decidiram fabricar um... isso mesmo, com direito a pé palito e tudo! E o resultado ficou tão bacana que tínhamos que mostrar para vocês!

O sofá além de bonito, atende a um importante detalhe, permite que ela, como muitas das mulheres com características digamos... compactas, encoste confortavelmente os pés no chão. Um alívio e tanto, eu bem sei! Mais uma vantagem do sofá sob medida.


Todo reforçado, com espumas adequadas ao assento e ao encosto (vistas nuas, na foto acima), “O sofá”, foi vestido de sarja pistache. O estofado em capitonê deu à peça made in family, um acabamento digno de quem tem estilo de sobra! Ah, tudo isso saiu pela bagatela de R$ 512,20. E você se animou? Vai ver como ela fez, vai!

Se a união faz a força, este é um daqueles projetos em que a união de um casal descolado e criativo fez dois fofos. É, o bebezinho Eric e este charmoso sofá! Olha os dois lá em cima, posando lindos e super à vontade.

♥ A Villa Pano está na semana da mesa posta, e tem um album no facebook com todos os produtos e preços. Vale a pena dar uma espiada!
♥ Notas da Emy: "Usamos compensado virola. Comprei e mandei cortar na mesma loja (JR madeiras, aqui de São José dos Campos). O preço é de 1 chapa + o serviço de corte (corte reto, eles não cortam em ângulo). A Leo madeiras também faz (lá é bem mais caro) e no Gasômetro deve ter várias lojas que também cortam. Usamos apenas 1 chapa e mais alguns retalhos de madeira que já tínhamos em casa (sobras de outros projetos). O preço da sarja é referente a 6m (nós tb já tínhamos), comprados na loja Aladim (este preço é antigo, eu não sei dizer quanto eles estão cobrando agora, mas como o algodão aumentou horrores...). Porém não usamos os 6m, deve ter sobrado 1m no final."

Comentar

Publieditorial: Anatex e as cortinas

Tags: + + +


Mês passado eu fui fazer uma visita a Minas. O causo é que Minas são muitas, mas todas elas cabem no meu coração, e Borda da Mata, com sua festa julina, e sua basílica de Nossa Senhora do Carmo certamente cavou espaço.


Fui lá conhecer a Anatex Cortinas. E olha: voltei impressionada. Com a fábrica limpa e organizada. Com os tecidos e a qualidade do acabamento. Com o tratamento que os funcionários recebem. Alguns almoçam em casa :-) E como a costura é um trabalho ainda bastante feminino, muitas mulheres têm a oprtunidade de trabalhar de casa, perto da família.

Eu fico feliz com isso, sabe? De indústrias em pequenas cidades, que permitem que a população tenha um bom emprego, um bom plano de saúde, uma boa qualidade de vida, e não precisem pensar em emigrar.


Mas além disso, a Anatex tem preocupações com o lixo que gera, e as ourelas dos tecidos viram artesanato nas mãos de uma ONG local.


Isso já bastaria pra eu querer comprar uma cortina da Anatex. Mas olha, você não está entendendo a qualidade das cortinas, qualidade de de ateliê. Bonitas, bem acabadas, produzida com respeito e consciência e com preço bem mais em conta do que o de um ateliê. Até ao blackout a Anatex conseguiu dar nobreza.

Sério, nunca fiquei tão bem impressionada com uma empresa antes. E com seu produto.

Se você quiser saber onde encontrar as cortinas da Anatex na sua cidade, tem uma lista aqui.

Comentar

Várias ideias num .Oztel

Tags: + + + +


Vou me repetir. Mas os projetos contemporâneos de hoteis de design têm uma coisa que os mais antigos não tem. A multiplicidade de peças e o caráter único de cada ambiente. O resultado é muito mais interessante.


O Oztel é um bed & breakfast que de alguma maneira lembra o Mama Shelter. A diferença? Tá aqui no Rio.


A arquitetura é de Ana Slade, responsável pelos projetos do Meza Bar e DoiZ. A nova fachada (linda!) foi criada pelo coletivo carioca MUDA e a decoração conta com móveis de design brasileiro. Já a direção criativa fica por conta do artista plástico e fotógrafo Felipe Morozini.


Os lustres, diferentes em cada ambiente, feitos de embalagens de material de limpeza, cacareco, gaiola e muitos et ceteras, arrebataram meu coração.


Numa época em que muitos clientes pedem um resultado lindo e com soluções baratas (várias são), tá aqui mais um projeto que chegou lá.

A dica é da antenadíssima Debie, que eu amo ;-).


.oztel
Endereço: Rua Pinheiro Guimarães, 91 – Botafogo – Rio de Janeiro/RJ
Tarifas: R$ 45,00 a R$ 250,00 (fora de temporada e feriados) em Ago/12.

Comentar

Lustre bordado - tutorial

Tags: + + +


Em meu trabalho, e no meu dia-a-dia, vivo procurando novas maneiras de aplicar antigas técnicas. Já fiz um banco de patchwork, já apliquei papel de pipa em parede, já até bordei uma parede e até uma grade/portão. Hoje vou mostrar como bordar um lustre.

Bordar um lustre? Sim, por que não? O bordado e o produto artesanal estão super em alta. Bordar o seu lustre é garantia de ter um produto exclusivo, e agrega valor a uma peça que poderia passar despercebida. Além de deixar o lustre lindo!

Quanto ao gráfico, você pode utilizar qualquer um, mas ao imprimir deve ampliar para que cada ponto tenha, no mínimo, 0,5cm. O tempo varia de acordo com a habilidade no bordado, eu gastei 4h. O nível de dificuldade é: fácil para quem sabe bordar.

O lustre que usei, comprei na Casa Quinze, em Vigário Geral, uma area de comercio ultra-popular no Rio de Janeiro, por R$23,99. (Sim, voltei lá, e dessa vez achei bem melhor.)



Material necessário: Lustre | Linha e agulha | Fita adesiva | Tesoura | Impressora e papel | Gráfico

Como fazer:
1º. Imprima o gráfico escolhido. Caso queira, faça o download do gráfico de flor aqui.
2º. Com a fita adesiva, posicione o gráfico no lustre.




3º. Borde, como bordaria um tecido, atravessando o papel do gráfico e o material do lustre.



4º. Terminou o bordado? É hora de retirar o papel que serviu de guia. Rasgue-o com cuidado, para não puxar os pontos. Utilize um instrumento de ponta, que pode ser uma agulha mais grossa. Retire tudo.


Retire todos os pedacinhos até não sobrar nenhum papel embaixo dos pontos. É também por isso que os pontos não podem ser menores que meio centímetro, pois ficaria muito difícil de tirar o papel sem danificar o bordado.


5. Pronto! Hora de pendurar o lustre.

E aí, gostou do tutorial? Então deixe seu comentário!

Comentar

Um lar acontece não pela perfeição, mas pela participação

Tags: +


"For too many people, being happy at home is pretty much an abstract idea, something they can’t know or imagine, until it appears on some taste maker’s must-have list, or in a magazine, or reposted on Tumblr. A home sweet home is not curated or produced by acquiring a perfect arrangement of chairs, lamps and friends. A real living space is made from living, not decorating. A bored materialist can’t understand that a house has to become a home. It happens, not through perfection but by participation." Andy & Elsa Beach, revista Apartamento

Comentar

Torta de maçã

Tags: + +


No sábado, eu e marido planejamos fazer um piquenique. A previsão do tempo fazia juras de dia lindo, e a gente merecia sair do casulo. Era a chance perfeita pra estrear a lancheira da Laurina, que merece post exclusivo. Comentei com ela e olha a resposta:

"Faz torta de maçã pra levar! Esta receita é da minha bisavó Mimi Moro. Ela foi uma grande culinarista aqui do Sul, a pioneira nas aulas de culinária pela TV, na extinta TV Piratini. Ela era italiana, ensinou minha vó e eu aprendi com ela. Os livros dela eram presentes em chás de cozinha, e muitas mulheres conversam comigo, dizendo que usam os livros da Mimi, e que aprenderam a cozinhar nas aulas dela (ela tinha cursos de culinária para noivas!). Esta receita é facílima, depois me diz se o pessoal gostou!" Laura.

O André acabou modificando a receita, e caramelizando a maçã, ao invés de colocá-la crua direto no forno. Mas olha, ficou um espetáculo. O piquenique? Amanhã eu conto.


Torta de maçã caramelizada (inspirada na torta da Mimi Moro)

Massa:
. 300 gr de farinha de trigo
. 200 gr de manteiga
. 100 gr de açúcar
. 1 ovo
. 1 colher de sopa de fermento químico

Preparo:
Esfarele todos os ingredientes com as mãos até formar uma massa (ou bater em um processador). Deixe a massa descansar  na geladeira enquanto prepara o recheio.  Forre uma fôrma de tamanho médio até as bordas. Essa receita de massa rende 2 fôrmas.

Recheio:
. 8 maçãs Fuji ou gala
. Sumo de 1 limão
. 50 g de açúcar
. 30g manteiga sem sal
. Canela q.b.

Preparo:
. Descascar e cortar cada  maçã em 12 gomos. Acrescentar o sumo de ½  limão e a canela.
. Colocar o açúcar e a manteiga em uma frigideira, espremer o sumo de ½ limão. Quando o açúcar derreter, acrescentar as fatias de maçã e cozinhar até que fiquem com uma cor dourada e sem água no fundo da frigideira.
. Deixe a maçã esfriar e disponha sobre a massa. Leve ao forno baixo até a massa dourar.
. Sirva com creme fresco batido, sorvete de creme ou creme inglês.

Comentar