Top Ad unit 728 × 90

Tutoriais:

TUTORIAL

ZANINE CALDAS - PARTE II


Então, onde estávamos mesmo? Ah, sim. Zanine e sua oficina de maquetes. Era de se pensar que quem construía as melhores maquetes da época, gostaria também de ver suas maquetes transformadas em edifícios de verdade. Mas Zanine não havia cursado arquitetura, e foi, nesse primeiro momento, pela opção possível: móveis.

Móveis Artísticos Z. Fundada em dezembro de 1948 por Sebastião Pontes, José Zanine Caldas e Paulo Mello, em São José dos Campos, a "Zanine, Pontes e Cia. Ltda", ficou mais conhecida como Móveis Artísticos Z. O alvo principal era classe média, crescente na década de 50. O desenho dos móveis era assinado por Zanine. As peças eram leves, de formas modernistas, com materiais coloridos, tudo aliado a uma relação custo-benefício bastante acessível, na filosofia do bom e barato. Sua primeira coleção de móveis utilizava apenas a técnica de recorte de compensado de madeira. Isto mesmo, você leu certo: compensado.


(Lembra? O compensado é leve, disponível, barato.)

A fábrica foi destruída por um incêndio em janeiro de 1961, mas nos anos que operou, marcou a história do design brasileiro. Mas por que os móveis de Zanine foram tão importantes?

Porque quebraram o paradigma do que poderia ou não ser usado para fabricar móveis. E porque tornaram o belo design modernista acessível (naquela época).

O que é nobre? O material, o design ou o que o design pode fazer com o material, ou seja, o resultado?

Outro dia uma moça me perguntou se compensado era proibido. Bem, um móvel de compensado feito por Zanine alcança cotações estratosféricas hoje. Por conta do valor agregado, claro. Mas também porque são lindas e atemporais. E lembremos que foram feitos na década de 60, então o compensado - o material barato e julgado como proibido para móveis bacanas - não é tão pouco durável assim.

Não, não. Compensado não é proibido. É uma questão de avaliar a aplicação, a durabilidade e o resultado que se deseja. Compensado é mais barato, mais leve, e menos agressivo ao meio ambiente. Se alguém te disser o contrário, evoque Zanine.

É, não acabei. O assunto continua depois.

Parte I
Parte III
Parte IV
ZANINE CALDAS - PARTE II Reviewed by Vivianne Pontes on . Então, onde estávamos mesmo? Ah, sim. Zanine e sua oficina de maquetes. Era de se pensar que quem c... Rating: 5

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *