Seguidores

Arquivo

A ESCOLHA DA MÁQUINA DE COSTURA


Infelizmente comprar uma máquina de costura não é tão simples quanto comprar uma almofada nova. O preço é alto e se você comprar mal vai ter um prejuízo proporcional. Quando se pode herdar uma, é ótimo, porque aí, mesmo se quiser comprar uma nova depois, já vai estar familiarizada e consciente de quais funções ela precisa ter e quais funções são desnecessárias. O site Superzíper dá uma dica: “Antes de sair comprando uma máquina eu checaria com as mães, tias e avós, pois elas podem ter uma máquina boa, mas encostada num canto (...). E mesmo que elas não te dêem a máquina você pode pedir para usar um pouquinho emprestada, sentir como é a máquina e assim terá mais segurança na hora de optar por um modelo seu.”

Eu, como não tinha a opção da “herança”, comecei procurando no site Buscapé, para pesquisas de preço de uma máquina nova e no Mercado Livre, Arremate e Balcão para pesquisas de preço de uma máquina usada. O preço de máquina de costura usada no Brasil é cerca de 70% do valor da nova. É caro, geralmente vêm sem o manual (que até dá pra baixar na internet), e raramente têm garantia. Então não acho que valha a pena a usada. A não ser que você conheça a procedência. No E-bay e outros sites gringos as máquinas são bem mais baratas, mas só valem a pena quando se mora no país onde a máquina está, por causa do frete e da assistência técnica.

O preço varia bastante, de R$450,00 ao “céu é o limite”. Eu não compraria uma genérica (mais barata) porque elas têm funções limitadas (praticamente só linha reta), estragam bastante e têm assistência técnica inexistente. Aquelas de mão, esqueça: nunca vi aquilo funcionar. Como de qualquer forma você vai desembolsar um dinheiro razoável, o prejuízo é grande se a máquina estragar e não tiver garantia e nem assistência técnica nacional. Então meu conselho é que você opte por marcas conhecidas, como Singer, Elgin e Janome.

O básico é que a máquina tenha as funções de costura reta, ziguezague de várias larguras, casa de botão e zíper. Para que você possa costurar cavas, colarinhos e mangas, também existe uma função especial, o braço desmontável. Para pontos decorativos o preço aumenta, então deve-se pensar antes se serão úteis, e pra que. As máquinas de costura domésticas portáteis não costuram muito bem tecidos grossos. Então quanto maior for a intenção de usar a máquina profissionalmente, mais robusta deve ser a máquina.

Minha primeira máquina foi uma Singer Fashion 4210, que comprei pela internet na Gazin. Custou R$549 que paguei em 10x sem juros no cartão de crédito, com frete grátis pro Rio, e demorou 4 dias úteis para ser entregue. Foi uma escolha ruim, pois a máquina é fraca, toda de plástico, e a sensação que dá é que ela é mais um brinquedo que uma máquina de costura. 2 anos depois comprei uma Janome 2008 (foto acima). Vi por um preço ótimo (12xR$35,75), e não resisti. Essa Janome costura jeans e outros tecidos grossos, e tem uma vídeo aula inteira aqui, muito boa, desde enfiar a linha a costurar pontos.

A que eu escolhi para mim (sem experiência em costura e com pretensões mínimas) não significa que é a melhor para você (nem foi pra mim). Você deve se perguntar para quê quer uma máquina, que tipo de tecido quer costurar, e de preferência dar uma passeada em lojas especializadas para escutar o que o vendedor tem a dizer ou a oferecer.

Outra dica bacana é fazer o curso antes, experimentar máquinas diferentes que esses cursos sempre têm e se aconselhar com a professora. Eu sou ansiosa e não ia conseguir fazer isso, mas sei que seria melhor.

Ouvi falar que a Singer oferecia cursos de manejo gratuito, mas não encontrei nem ligando pro SAC deles. Acho que não existe mais essa prática (nem injeção na testa é de graça, vejam o botox...).